quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Aprenda com seu fracasso

Sochiro Honda fundador da Honda Motors disse certa vez:
"Muitas pessoas sonham com o sucesso. Prá mim, sucesso só pode ser alcançado depois de muitos fracassos e introspecção. Na realidade, sucesso representa apenas 10% do seu trabalho que resulta de 90% do que é chamado de fracasso."
O apóstolo Paulo coloca de uma maneira melhor ainda. Ele nos ensina que fracasso é uma excelente oportunidade de crescimento. Ele diz:
"... para o conhecer e o poder da sua ressurreição e a comunhão dos seus sofrimentos." (Filipenses 3:10). Fracasso nos ajuda a entender essa "comunhão de sofrimento."
Alguém disse certa vez que "Sucesso não é nada mais do que acúmulo de fracasso."
Foi Henry Ward Beecher que escreveu:
"É o fracasso que faz os ossos formarem, os músculos se enrijecerem e torna as pessoas invencíveis, transformando-as em heróis que se despontam neste mundo. Portanto, não tenha medo do fracasso. Você nunca estará tão perto da vitória se você não usar o fracasso para uma boa causa."
Eis aqui o que o biógrafo de Dale Carnegie escreveu em um livro intitulado: "O Homem que Influenciou Milhões."
O nome Dale Carnegie não é associado a fracasso. Mas esse é o homem que iniciou uma classe de oratória em 1912 e que até hoje treina milhões de pessoas ao redor do mundo. Este é o homem que escreveu o livro "Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas" o qual já vendeu mais de 50 milhões de cópias. Porém, o início da carreira do Carnegie foi marcada e acentuada por fracassos.
Membro de uma família muito pobre, a única maneira de ir para a escola foi sair de casa. Ele tinha que cavalgar dezenas de milhas para ir e voltar à escola. Ele decidiu que poderia ficar famoso se ganhasse o concurso de oratória do State Teachers College em Kentucky.
Carnegie participou de dezenas de concursos e perdeu em todos eles. Ele trabalhou duro por 4 anos a fim de concluir o seu curso no Teaches College, porém, no último ano ele foi reprovado em latim e nunca terminou o seu curso. Carnegie foi para Nova York e lá gastou toda a sua economia em uma escola de arte dramática.
Conseguiu um pequeno papel em uma peça e nunca mais teve outra oportunidade. A partir de então tudo o que ele ouvia era:
"Desculpe, mas não temos oportunidade e espaço para você agora."
Como último recurso ele se candidatou como professor de oratória no WYMCA, uma classe para ensinar pessoas a falar em público. Em função da sua falta de experiência, o WYMCA não lhe deu o salário que seria normal de 2.00 dólares por aula. Ao invés disso, foi dado a ele a oportunidade de ensinar com base no crescimento e sucesso da classe.
"Se você se sair bem, você ganha dinheiro, se não você perde o seu trabalho."
E através desse obscuro começo Carnegie se levantou para a fama como um dos mais eficientes oradores, e se revelou um dos mais bem sucedidos escritores de todos os tempos.
Dois fatores fundamentais estiveram presentes em Dale Carnegie para que ele pudesse transformar o fracasso em sucesso: sua determinação de não desistir diante do fracasso e o seu desejo de aprender com seus próprios fracassos.
Creio que uma das melhores descrições de como alguém pode apreciar o valor do fracasso vem da famosa freira Madre Teresa. Essa notável mulher afirmou certa vez que "fracasso é o beijo de Jesus." Quando alguém lhe pediu para esclarecer essa sua declaração, ela simplesmente afirmou:
"Fracasso sempre, sempre me traz para junto Dele. No meu fracasso, eu vejo o seu amor eterno e incondicional, e ali (no fracasso) ele me toma e me beija."
Madre Tereza aprendeu a apreciar, a valorizar a importância de um fracasso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário