terça-feira, 1 de março de 2011

Longe dos olhos, longe do coração.

Ah, mas tudo bem. Em seguida todo mundo se acostuma. As pessoas esquecem umas das outra com tanta facilidade. Como é mesmo que minha mãe dizia? Quem não é visto não é lembrado. Longe dos olhos, longe do coração. Pois é.



Caio Fernando Abreu.

2 comentários: